Tempestades severas, tornados, destruição e feridos em SC

Tempestades severas atingiram o sul brasileiro durante a tarde da última sexta-feira (14). Segundo a Defesa Civil de Santa Catarina, 25 cidades tiveram danos, 16 pessoas ficaram feridas, 830 desabrigadas e 197 residências destruídas com o mau tempo. Foram registrados granizo, chuva forte e rajadas intensas de vento. A BR-116 no norte de Santa Catarina chegou a ser interditada por 15 minutos pelo acúmulo de granizo, que chegou a 15 centímetros.

Pelo menos dois tornados foram confirmados no norte catarinense, um em Irineópolis e o outro em Água Doce. Um dos locais mais afetados em Irineópolis foi a comunidade rural de Rio vermelho. “Não teve para onde fugir. Fui arremessado uns 30, 40 metros dali, revirando de ponta cabeça”, disse o agricultor Claudio Furst a imprensa, enquanto tentava se proteger do tornado. Além de Rio Vermelho, Rio Branco e Boa Vista também foram atingidas e os moradores ficaram sem energia elétrica e telefone.

Em Água Doce onde se registrou o outro tornado, cerca de 700 casas foram destelhadas e 25 completamente destruídas. As tempestades atingiram também a região de Catanduvas, Ibicaré, Tangará, Vargem Bonita com fortes rajadas de vento que provocaram danos em edificações e destelhamentos. Em Catanduva 235 casas foram destelhadas, enquanto em Ibicaré os danos atingiram pavilhões e igrejas em comunidades do interior.

Já em Tangará houveram destelhamentos em todos os bairros da cidade. A estimativa é de que 90% das empresas e casas sofreram algum tipo de dano no município. Um motorista filmou de dentro do seu caminhão o mesmo sendo tombado pela força do tornado, o vídeo viralizou nas redes sociais por se tratar de um registro raro de ser feito, veja no twitter abaixo.

“O atendimento para as pessoas atingidas e os feridos foram prestados pelo Corpo de Bombeiros Militar, Samu e PMSC”, contou o chefe da Defesa Civil do Estado, João Batista Cordeiro Júnior. “No primeiro momento realizamos a distribuição de lonas e demais itens de assistência humanitária estão sendo disponibilizados para a população”, acrescentou. Segundo João, a primeira resposta está em andamento e as defesas civis municipais com o apoio da Defesa Civil de Santa Catarina estão fazendo o levantamento dos prejuízos. Até o momento do preparo deste artigo houve uma morte confirmada neste evento.

O mau tempo da sexta-feira (14) gerou danos principalmente no oeste e norte catarinense, com 25 cidades afetadas e cerca de 4,9 mil habitações atingidas de algum modo. Vale lembrar que o estado de Santa Catarina ainda se recupera de vários impactos meteorológicos deste ano, como os vendavais ocorridos na tarde do dia 30 de junho que causaram prejuízos aos cofres públicos, além de feridos e mortos.

Registros de tempo severo

Uma análise preliminar dos reportes de tempo severo entre às 12Z da sexta-feira e às 12Z do sábado mostra a abrangência das tempestades na Região Sul, com destaque para o sul/sudoeste do Paraná, Santa Catarina e noroeste do Rio Grande do Sul que registraram granizo superior a 4 cm de diâmetro. As rajadas mais fortes de vento (> 100 km/h) e os tornados foram reportados em Santa Catarina.

Mapa da distribuição espacial dos reportes de tempo severo. (Fonte: PRETS)

Embora tenha a confirmação de 2 tornados – com intensidade ainda a confirmar – o número 5 no mapa preliminar se refere a duas localidades com danos típicos de tornados, sendo a região de Irineópolis (um confirmado) e mais três na região de Água Doce (um confirmado). É provável que o mesmo tornado de Irineópolis e Água Doce tenham atingido áreas vizinhas de ambos municípios onde se confirmaram o fenômeno.  

O evento

Na tarde da sexta-feira passada o ambiente se tornou instável no sul brasileiro com a chegada de ventos quentes e úmidos de norte sobre a região. Valores consideráveis de CAPE (Energia Potencial Disponível Para Convecção) para o inverno estavam sobre parte do sul. O cisalhamento do vento também era alto.

Configuração atmosférica da última sexta-feira (14) às 15 horas local.

O perfil termodinâmico obtido pelos dados do modelo GFS para as cidades de Água Doce e Irineópolis confirmam a forte instabilidade do ar em ambas cidades, assim como o cisalhamento vertical do vento. Os valores de cisalhamento do vento nas camadas mais baixas da atmosfera na sexta-feira estavam dentro dos limiares para formação de mesociclones e tornados na região.

Perfil termodinâmico para Irineópolis e Água Doce a partir dos dados do GFS.

As imagens de satélite entre a tarde da sexta-feira (14) e a madrugada do sábado (15) mostram as nuvens de tempestades responsáveis pelo tempo severo na Região Sul, conforme o twitter abaixo.

A assinatura tornádica na região de Água Doce foi evidenciada no radar meteorológico de Chapecó-SC. O eco em gancho (“Hook Echo”) visto nas imagens de radar é uma característica observada em diversos casos de supercélulas tornádicas.

Imagens de refletividade do radar de Chapecó. (Fonte: CIASC/Defesa Civil de Santa Catarina)

Está precisando de laudo técnico para sua seguradora a fim de atestar algum impacto decorrente das tempestades na sua residência, empresa ou veículo? Entre em contato com nossos meteorologistas pelo e-mail: contato@temponline.com.br