Onda de calor marinha no Pacífico Norte

Uma forte onda de calor marinha está em desenvolvimento nas águas do oceano Pacífico Norte. O fenômeno abrange uma área superior a 1 milhão de km² e apresenta temperaturas de até 8 graus Celsius acima da média para essa região.

Um estudo de 2018 publicado na revista Nature Communications encontrou evidências de que as ondas de calor marinhas estão se tornando cada vez mais frequentes, intensas e duradouras. O aumento da temperatura da superfície do mar pode ser prejudicial para o ambiente marinho. Nas regiões costeiras, por exemplo, o aumento da temperatura pode gerar a mortandade dos corais e, consequentemente, fortes impactos no ecossistema marinho local.

Anomalia da temperatura da superfície do mar e da pressão atmosférica no oceano Pacífico Norte.

A principal explicação para a onda de calor marinha em vigor sobre o oceano Pacífico Norte é a persistência de um forte sistema de alta pressão anômalo entre junho e meados de julho. Mas como um sistema de alta pressão pode contribuir para o aumento da temperatura da superfície do mar? A imagem abaixo ilustra as principais razões para isso.

Processos físicos que contribuem para o aumento da temperatura da superfície do mar na presença de um sistema de alta pressão.

Vimos que as ondas de calor marinhas podem ser desencadeadas por fortes sistemas de alta pressão persistentes. Contudo, o que explica a intensificação e a estacionalidade de determinados anticiclones? A resposta para essa pergunta está nas teleconexões atmosféricas. Diversos processos físicos do sistema climático modulam a pressão atmosférica em escala planetária, podendo bloquear um mesmo padrão de pressão em uma determinada região.

As águas mais quentes começaram a se desenvolver no oceano Pacífico Norte em maio, mas se intensificaram em junho. Agora, em julho, a grande macha quente se expandiu e apresentou um máximo aquecimento.

Não é a primeira vez que essa região do oceano Pacífico registra uma onda de calor. No inverno de 2013/2014 (Hemisfério Norte), outra forte onda de calor marinha se desenvolveu um pouco mais ao norte da atual. Ela foi maior e mais intensa, com anomalias positivas atingindo até 100 metros de profundidade.

No entanto, no twitter acima é possível verificar outras ocorrências do fenômeno na mesma região do oceano Pacífico Norte.